quinta-feira, 20 de maio de 2010

Vitória goleia o Atlético-GO e vai à final da Copa do Brasil pela 1ª vez

Após 17 anos, o Vitória volta a ter a chance de disputar um título nacional. Nesta quarta-feira, com o Barradão lotado, a equipe baiana fez valer o apoio de sua torcida e seu excelente desempenho no seu caldeirão, bateu o Atlético-GO por 4 a 0 e vai decidir a Copa do Brasil com o Santos, que venceu o Grêmio por 3 a 1 nesta noite e também se classificou. As duas partidas da decisão acontecem só após a Copa do Mundo na África do Sul, nos dias 28 de julho e 4 de agosto.

Esta é a segunda vez que o time baiano decide um torneio nacional. Em 1993, a equipe rubro-negra perdeu a final do Campeonato Brasileiro para o Palmeiras. O Vitória tenta também se tornar o segundo time nordestino a ganhar a Copa do Brasil, repetindo o feito obtido pelo Sport em 2008.

Fora da equipe há 17 dias, o capitão Ramón, mesmo fora de forma, foi o grande nome do jogo. Foi dos seus pés que surgiram as principais jogadas do Vitória no primeiro tempo, inclusive o lance do primeiro gol, quando ele colocou a bola na cabeça de Uelliton, que abriu o placar. O segundo foi feito também após um cruzamento, que Bida escorou e Júnior fez.

E a goleada só não foi maior graças à excelente atuação do goleiro Márcio. Ele fez pelo menos três ótimas defesas, além de outras tantas de menor dificuldade. Sua equipe, porém, não colaborou, e só criou chances em dois momentos do jogo: dos 10 aos 20min do primeiro e depois também do segundo tempo.

Na maior delas, aos 44min da etapa final, Marcão teve chance clara de fazer o gol da classificação do Atlético-GO, mas enrolou para chutar, foi desarmado e, no contra-ataque, Márcio sofreu o terceiro gol.

O jogo ainda teve um lance polêmico. Nos acréscimos, o goleiro colombiano Viáfara levou cartão amarelo após fazer uma paradinha na cobrança de pênalti, no primeiro lance do tipo após a determinação da Fifa sobre o assunto, apesar de a deliberação passar a valer apenas no mês que vem.

Com o amarelo, Viáfara está fora do primeiro jogo da decisão. Depois, sem paradinha, o goleiro fez o seu terceiro gol na competição e o quarto do Vitória na noite.

O Atlético-GO volta a campo para pegar exatamente aquele que poderia ser o seu adversário na final da Copa do Brasil: o Santos, mas em jogo válido pelo Brasileirão. A partida acontece no Serra Dourada, no próximo sábado, às 18h30. Já o Vitória joga no domingo, às 16h, contra o Ceará, no clássico do Nordeste no Campeonato Brasileiro.

Em quatro jogos em casa por esta Copa do Brasil, o Vitória tinha 100% de aproveitamento e uma média de 3,75 gols por partida. Por isso, contava com a sua torcida para reverter o 1 a 0 sofrido no confronto de ida contra o Atlético-GO, em Goiânia. E a massa rubro-negra fez sua parte. Lotou o Barradão, fazendo bonita festa quando a equipe entrou em campo, em estilo argentino, com rolos de papel higiênico sendo jogados atrás do gol em que os baianos atacariam no primeiro tempo.

Fora da equipe desde o dia 2 de maio, Ramón mandou no primeiro tempo. O camisa 10 parecia fora de forma, mas mesmo assim comandava o meio-campo do Vitória. Ao seu lado, tinha os laterais Nino Paraíba e Egídio, que também voltavam ao time em Salvador.

Após perceber que pelo meio, com Ramón controlando a bola, seria difícil penetrar na zaga do Atlético-GO, o Vitória passou a jogar pelas pontas. Se, por um lado, os baianos chegavam ao ataque com perigo, abriam espaço nas costas dos laterais. Foi assim que, aos 28min, Márcio Gabriel recebeu a bola sozinho entrando pela área na direita, mas dominou mal e permitiu que Viáfara cortasse. Logo na jogada seguinte, o Vitória abriu o placar. Ramón bateu falta na cabeça Uelliton, que escorou forte de cabeça sem chances para Márcio. Foi o terceiro gol do camisa 8 do Vitória na competição.



O Atlético-GO não reagiu bem ao gol tomado, não conseguiu atacar nos minutos seguintes e o Vitória chegou ao segundo aos 33min. Em levantamento de Elkson da direita, Bida escorou de cabeça e encontrou o oportunista Junior no segundo pau, que só escorou para o gol vazio.

O técnico Geninho, que assumiu o Atlético-GO no meio da competição, lamentou a falta de eficiência da sua equipe quando teve a chance do contra-ataque e da bola parada: “O Vitória fez dois gols de bola levantada. Não estamos conseguindo jogar. Quando estava 0 a 0 tivemos dois lances, mas não fizemos”, reclamou.

Ainda no primeiro tempo, com os 2 a 0 no placar, Geninho corrigiu a escolha na escalação, tirando Erandir e colocando em campo o meia Wesley. A alteração acabou só surtindo efeito depois dos 10min do segundo tempo, quando finalmente o Atlético-GO pareceu entender como deveria pressionar os baianos. Antes, porém, o Vitória ficou muito perto de fazer o terceiro. Aos 4min, Ramón bateu falta quase na bandeirinha do escanteio pela direita e acertou a trave. Aos 5min, Egídio exigiu boa defesa de Márcio. Mais um minuto e foi novamente Ramón, de falta, que deu trabalho ao goleiro, em bola que passou por toda a área.

Depois dos 10min, o Atlético-GO cresceu no mesmo tipo de jogo que deu certo para o Vitória no primeiro tempo: bola na área. Aos 13min, Marcão dominou bem na área cruzamento que veio da esquerda, mas foi desarmado. Em seguida, o mesmo Marcão chutou cruzado da direita, mas Juninho chegou atrasado e por centímetros não descontou. Aos 18min, a bola voltou a correr a linha do gol do Vitória, em cabeceio de Pituca no segundo pau.

Com o Atlético-GO pressionando, o técnico Ricardo Silva tirou Ramón, seu principal jogador, já cansado, para dar lugar à velocidade de Neto Berola, tentando explorar os contra-ataques. A modificação deu resultado e baianos voltaram a dominar o jogo, mas Márcio salvava a cada nova investida baiana.



Aos 44min, Marcão perdeu a chance de fazer o gol da classificação, e abriu espaço o contra-ataque. Neto Berola desceu pela esquerda, Márcio saiu mal para cotar e o atacante tocou para Junior fazer o terceiro. Em pênalti cometido por Ramalho em Júnior, Viáfara precisou bater duas vezes para fezer o quarto e decretar a classificação do Vitória.

VITÓRIA 4 x 0 ATLÉTICO-GO


Vitória-BA
Viafara, Nino Paraíba, Wallace, Reniê, Egídio; Vanderson, Uelliton, Bida (Neto Coruja), Ramón (Neto Berola); Elkeson e Júnior
Técnico: Ricardo Silva

Atlético-GO
Márcio, Márcio Gabriel, Jairo, Gilson e Thiago Feltri; Ramalho, Erandir (Wesley), Agenor e Pituca (Anaílson); Juninho (Diogo) e Marcão
Técnico: Geninho


Data: 19/05/2010 (quarta-feira)
Horário: 21h50 (de Brasília)
Local: Estádio Barradão, em Salvador (BA)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (PR) e Carlos Berkenbrock (SC)
Cartões amarelos: Márcio Gabriel, Jairo, Juninho, Ramalho e Agenor (Atlético-GO), Ramón, Viáfara e Uelliton (Vitória)
Cartão Vermelho: Márcio Gabriel (Atlético-GO)
Gols: Uéliton aos 29min do primeiro tempo, Junior aos 33min do primeiro tempo e aos 45min do segundo tempo e Viáfara aos 50min do segundo tempo.


Creditos:

Texto: UOL Esporte
Fotos: Terra Esporte

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails